Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

1.5.10

O AMANHECER NO SERTÃO (No inverno)

Por
Gonçalo Felipe

-1-
Quando o dia vem raiando
A luz do Sol rubra e turva
Deixa o sertanejo olhando
Imagens depois da curva
E no terreiro passando
um carreiro de saúva
- 2 -
Raios de sol invadindo
O interior da choupana
Um boi se espanta mugindo
Com abelha Italiana
E o vento faz piruetas
Nos galhos da Gitirana
- 3 -
A aurora se levanta
trazendo um lindo clarão
Se escuta um sabiá,
Um canário e um cancão.
Cada um abrindo o bico
Cantam a primeira canção.
- 4 -
O Céu em transformação
Forma torre matinal
O dia amanhece lindo
Transparente igual cristal
E a vaca lambe o bezerro
Na porteira do curral.
- 5 -
Uma aranha tece a rede
Formando a sua defesa
Sobe e desce nos fios
Construindo sua"empresa"
Captura a mosca viva
A devora depois de presa.
- 6 -
Com café quente na mesa
Tem o pão de milho e brôa
Desce o galo do poleiro
Com a galinha patrôa
Dando peitadas nas frangas
Chega o peneiro vôa.
- 7 -
Se usa como um espelho
A água clara da fonte
Torres de núvens aparecem
Por detrás de um grande monte
Resplandecendo as imagens
Muito além, no Horizonte
- 8 -
Não existe quem descreva
Em toda a sua perfeição
Ao se observar as núvens
Fazendo uma imitação
De centenas de castelos
Que Deus faz com sua mão.
- 9 -
Ainda bem cedo o Sol
Com seus raios multicores
Banha as abelhas que estão
Sugando o nectar das flores
No terreiro um adjunto
Formam os trabalhadores.
- 10 -
Voando de flor em flor
As abelhas matam a sede
Um idoso se espreguiça
Se esticando na rede
Um menino sonolento
Faz um xixi na parede.

Fim

Em 26 / 04/ 2010
__________________________
Ilustração: foto do acervo da poetisa Dalinha Catunda exibida no blog cantinhodadalinha.blogspot.com/ na crônica A Volta do Sertão, em 28 de julho de 2009.


Gonçalo Felipe é o prestigiado poeta de Nova Russas que nos brinda com poesias sobre nós, sobre Ipueiras, sobre nosso pé de serra, enfim sobre a vida de todos nós.

1 Comentários:

Blogger Jean Kleber disse...

O amanhecer no sertão é assim mesmo. Gonçalo Felipe retrata bem o cenário em belos versos. Desfrutem.

1.5.10  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial