Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

13.3.09

TRÊS POETAS E UMA SAUDADE

Na foto, a poetisa
Por
Dalinha Catunda

Dia quatorze de março
Dia Nacional da poesia.
Presto minha homenagem
Com carinho neste dia,
A três bardos cearenses
Que nos deram alegria.

O céu está em festa
Vejam que constelação,
Com Patativa do Assaré,
E Gerardo Mello Mourão,
Juntos com Costa Matos
Versejando sobre o sertão.

Patativa muito encantou
Aquele que pode escutar
A cantiga da vaca estrela
Junto com o boi Fubá.
E com a “Triste Partida”,
Fez muita gente Chorar.

Nossa cultura popular
Deve muito a Patativa.
Sua alma de poeta
Era de sua terra cativa.
Mesmo com sua partida
Sua história é bem viva.

Cantou as amarguras
De um povo sofredor.
Cantou a beleza da rosa,
Cantou alegria e a dor.
Cantou a vida sofrida
Do pobre agricultor.

Costa Matos meu poeta,
Poeta de minha infância,
Seus poemas que eu li
Quando ainda era criança,
Num livro emprestado,
Ainda trago na lembrança.

Mais tarde eu recebi
Vindo de suas mãos,
Livros a mim ofertados,
E foi grande a emoção.
Pra ele fiz um poema,
Demonstrando gratidão.

O poeta fez de Ipueiras,
Um poema de amor.
Cantou a beleza da serra,
Cantou os ipês em flor,
Cantou os pirilampos,
Com borboletas brincou.
.
Poeta segue tua trilha,
Pois brilharás no além.
Aqui ficou a saudade,
Dos que lhe querem bem.
Nas alturas sei que os anjos,
Certamente dirão, amém.
.
Meu muito querido amigo,
Gerardo Mello Mourão,
Dele fui muito próxima
Segurei em sua mão
Cada palavra que ele dizia
Eu ouvia como oração.

Ainda hoje não esqueço
Minhas visitas ao seu lar.
Era ele quem mais falava,
E eu gostava de escutar.
E sua sala de visita
Chegava a me encantar.

Por mim ele foi recebido
Num evento cultural
Na cidade de Ipueiras,
Em nossa terra natal.
Sua alegria era tanta,
E a minha sem igual.

Tenho parte de seus livros,
Que ele mesmo me deu.
Adoro “Rastro de Apolo”,
E “O Bêbado de Deus”.
O livro “Invenção do Mar”
Perde quem nunca leu.

Gerardo se foi há dois anos,
Costa Matos partiu agora.
Março não foi camarada,
Mas era chegada a hora.
O centenário de Patativa,
Em março se comemora

A saudade eu sei é grande,
Mas na história ficará
Os feitos destes poetas,
Que gostavam de versejar,
E espalharam pelo mundo,
Um canto bem singular.
*
Maria de Lourdes Aragão Catunda – Poetisa, Escritora e Cordelista. Nascida e criada em Ipueiras-CE, conhecida popularmente como Dalinha Catunda, vive atualmente no Rio de Janeiro. Publica nos jornais "Diário do Nordeste" e "O Povo", nas revistas "Cidade Universidade" e "Municípios" e nos blogs: Primeira Coluna, Ipueiras e Ethos-Paidéia. É membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel. É co-gestora convidada do blog Suaveolens, além de ter blog próprio: (cantinhodadalinha.blogspot).

5 Comentários:

Anonymous Tereza Mourão disse...

Dalinha, só vc mesmo com esta mente de poeta brilhante para fazer tão lindos versos a estes três poetas cearenses. Engraçado a coincidencia sobre o mes de março, o Patativa não morreu em março, sua morte se deu em 8/7/2002 mas nasceu no mes de março em 05/3/1909e portanto neste mes ele faria 90 anos, a idade em que nosso poeta maior Gerardo Mourão desencarnou.
Caso queiram pesquisar mais sobre estes poetas é só acessarem o site
http://www.jornaldepoesia.jor.br/
que encontrarão tudo sobre muitos de nossos poetas ao longo destes anos.
O meu muito obrigada a todos estes poetas cearenses que tanto cantaram sua terra e sua gente, e entre eles incluirei o nosso querido amigo Joseph E. de Sousa ou José Edisio de Sousa, que mesmo morando há tanto tempo longe de sua terra, seus beijas flor e suas borboletas de seu querido Pacoti/Ce, nunca o esqueceu, como ele mesmo dizia, levo consigo mãe terra a tua chave dentro de meu coração! E também nos deixou aos 85anos há dois anos em 1/2/2007, deixando muita mas muuuitas saudades.
Abraços e até breve
Tereza Mourão

13.3.09  
Anonymous Anônimo disse...

Dalinha: tenho a maior certeza que o Costa Matos está muito feliz com a sua homenagem. Pena que vocês dois tenham convivido tão pouco, pois ambos teriam muitos ganhos poéticos com uma maior proximidade. Você continua maravilhosa, minha linda. Um beijão pra você e os seus. Carlito Matos.

13.3.09  
Anonymous Tereza Mourão disse...

ops, nunca fui boa em matemática, Patativa iria completar em março deste ano 100 e não 90 como falei anteriormente. Desculpem.
Aproveito aqui para parabenizar aos nossos poetas brasileiros e desejar cada vez mais inspiração para continuar a nos enviar tanta coisa bonita, seja aqui na terra como no além.
Abraços e até breve

14.3.09  
Blogger Jean Kleber Mattos disse...

Arrasou, hein, Dalinha?
Abração.

16.3.09  
Blogger Dalinha Catunda disse...

Meu querido amigo Carlito,

Você não imagina como lamento a trama do tempo que não foi generoso com nosso convívio físico. Ou seja, meu e do poeta Costa Matos.

Eu por muito tempo alimentei um projeto de um livro reunindo poetas e escritores ipueirenses, Cheguei a falar com ele, e o mesmo prometeu-me fazer o prefácio. A idéia não morreu, porém, atualmente está adormecida.
Tenho um poema que fiz para Costa Matos depois de ler o livro: Estações de Sonetos.
Num momento de menos pesar postarei.

Consola-me saber, que ele sabia de mim, e lia meus escritos. Recebi em julho de 2008 o livro “O Povoamento da Solidão” de sua autoria. No oferecimento palavras que me deixaram feliz, agradecida, e estimulada a continuar minha caminhada nas asas da poesia e com muito mais responsabilidade, depois de tão importante declaração,
Que reproduzo neste comentário:
“Para Dalinha
Uma ipueirense que é suprema representante do espírito de minha terra.
Abraço cordial do
Costa Matos
Em 09-07-2008”
Um abraço carinhoso
Dalinha

Tereza Mourão e Jean Kleber, obrigada pelo apoio e o carinho de sempre.

16.3.09  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial