Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

15.11.12

Versos do poeta Gonçalo Felipe para Seu Mattos Centenário


Por
Gonçalo Felipe

Dispenso a chuva que inunda
Provocando correnteza
Dispenso a água que cobre
As ruas lá de Veneza.
Não dispenso é me inspirar
Numa festa em Fortaleza.

Dispenso a maior colheita
Que o nordestino tem
O trinar do Rouxinol
E a cantiga do Vem- vem
Não dispenso é meu carinho
Numa idade igual a cem.

Dispenso até rimar bem
Dispenso namoro e dança
Dispenso ver na t v
Um programa de criança
Não dispenso é meu respeito
Para quem cem anos alcança.

Dispenso até aliança
Com a saúde que me isola
Dispenso a minha saudade
Do filho, que me consola.
Não dispenso é meu abraço
A quem na vida é escola.

Eu dispenso os quilates 
Do ouro melhor do mundo,
Uma missa na basílica
Com João Paulo Segundo.
Não dispenso é externar 
O meu respeito profundo.

Dispenso pela manhã
O meu café na bandeja
A mulher da minha casa,
O pastor da minha igreja
Não dispenso é a alegria
Que o meu peito despeja .

Dispenso a boca que beija
Ansiosa de paixão.
Dispenso até cumprimento
Pegando na minha mão.
Não dispenso é de mostrar 
Minha consideração.

Dispenso ver uma partida
Entre o Vasco e o Flamengo.
Hoje eu dispenso outras rimas
Que me apareçam no quengo 
Não dispenso é me imaginar
Num senhor fazendo um dengo.

Dispenso ver outro evento
Por maior que seja a classe
Um casamento de príncipe
Que é o mais belo enlace
Não dispenso um desvaneio 
Onde o encontre e abrace.

Eu dispenso o melhor vinho
Dispenso o melhor azeite
Eu dispenso o caviar
Dispenso doce de leite
Não dispenso de o louvar
Mesmo que não me aceite.


Gonçalo Felipe é o poeta de Nova Russas que colabora com o blog "Suaveolens" mediante seus poemas bem atualizados e sensíveis sobre nossa civilização, nossas vidas e nossos sentimentos.


3 Comentários:

Blogger Jean Kleber disse...

Meu caro poeta Gonçalo Felipe, esta foi uma valiosíssima homenagem. Toda a família (sua fã), agradece. Abração.

15.11.12  
Anonymous Bérgson Frota disse...

Mais uma grande figura a chegar aos 100 anos, que esta data se repita por muitos anos. Uma merecida homenagem do poeta Gonçalo Felipe.

16.11.12  
Anonymous Anônimo disse...

Muito feliz e emocionado, até pq estes versos apesar de saírem da mente, foram ditados pelo
meu coração.

Gonçalo Felipe.

Obs:
Não consigo postar de outra maneira, a senha não é aceita.

18.11.12  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial