Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

10.4.11

A MAJESTOSA IPU

Por
Dalinha Catunda


O tempo passa, é Certo,

Porém a lembrança fica

Dos velhos passeios no Ipu

Regados a banho de bica.

Comendo paçoca na lata

No meio daquela mata,

De natureza tão rica.


* Meus pés trilharam com gosto,

As pedras daquele chão,

Nos inesquecíveis banhos

Aonde escorria o Gangão.

Onde fluíam os amores,

Ímpetos, desejos, ardores,

Nas primícias da paixão.


* Ipu das santas festas,

Das novenas, procissão,

Do santo mártir Guerreiro,

Que do Ipu é guardião.

Em todo mês de janeiro

Dou vivas ao padroeiro,

Que é São Sebastião.


* Ipu hoje está diferente,

Sem perder a majestade.

A natureza foi pródiga

Ao criar esta cidade,

Onde o verde faz festa

E sempre se manifesta

Em várias tonalidades.


* Se a bica não cai como antes,

Porém o lajedo encanta.

A água bate na pedra,

Forte ou fraca, mas canta!

E para minha alegria

Ressoa feito sinfonia

A música que acalanta.
______________________________________________
Maria de Lourdes Aragão Catunda, nascida em Ipueiras-Ceará, é conhecida nos meios literários como Dalinha Catunda, é poetisa, cordelista e cronista, sendo membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel. Também tem blog próprio - cantinhodadalinha.blogspot.com.

2 Comentários:

Blogger Jean Kleber disse...

Belo poema, amiga Dalinha. òtimo para matar as saudades!!! Bj.

10.4.11  
Anonymous Bérgson Frota disse...

De fato Dalinha tem razão em homenagear com este poema a Bica do Ipu, a natureza se esmerou em fazê-la. Um ótimo trabalho, parabéns.

12.4.11  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial