Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

19.4.08

A FORTALEZA

Por
Paula Nei

Ao longe, em brancas praias embalada
Pelas ondas azuis dos verdes mares,
A Fortaleza, a loira desposada
Do sol, dormita à sombra dos palmares.
.
Loura de sol e branca de luares,
Como uma hóstia de luz cristalizada,
Entre verbenas e jardins pousada
Na brancura de místicos altares.
.
Lá canta em cada ramo um passarinho,
Há pipilos de amor em cada ninho,
Na solidão dos verdes matagais...
.
É minha terra! a terra de Iracema,
O decantado e esplêndido poema
De alegria e beleza universais!
_________________________
Minha homenagem a Luisa Mendes dos Santos, a Dona Luisinha, minha avó, que me ensinou, aos oito anos de idade, a declamar este soneto em homenagem à minha cidade natal.
Jean Kleber
___________________________
Extensa matéria sobre Paula Nei pode ser vista no site recantodasletras, por Bruno Scomparin Pereira. Veja um trecho: "O nome de Francisco de Paula Nei (Vila de Aracati, CE, 2/2/1858 – Rio de Janeiro, RJ, 13/10/1897) é mencionado nos meios literários, atualmente, máxime e somente como partícipe da vida boêmia que marcou o Rio de Janeiro da belle époque, e na qual figuraram nomes que acabaram se imortalizando, como é o caso de Aluízio Azevedo e Olavo Bilac, e outros que a Crítica de hoje situa em posição menos elevada – são exemplos Coelho Neto, Guimarães Passos, Luís Murat, e muitos outros".

2 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Belo poema que na sua singeleza encerra muito de sentimento verdadeiro, aquele que nos alimenta por dentro vindo da fonte que ilumina-nos e sem a qual não podemos viver, fruto então da alma da poestisa. Parabéns pela singela homenagem.

Bérgson Frota

19.4.08  
Blogger Dalinha Catunda disse...

Jean Kleber,
Bons tempos, quando éramos incentivados a declamar e passear pela vida de poetas como Paula Nei,Juvenal Galeno, Com sua Jangada de Velas, Cajueiro Pequenino e tantos outros que fizeram parte de um passado mais poético.
Um abraço,
Dalinha Catunda

20.4.08  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial