Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

24.6.14

Amor na festa de São João

Por
Bérgson Frota

Foi numa festa junina, um belíssimo São João, e lá dançava Maria Jurema, flor de mulher, pedaço de perdição, desejada pelos caboclos com seu corpo de violão.
Surgiu um cabra forte, e também de muita sorte, que nas graças da mulata não demorou a cair. O sujeito era João Trancoso, matador de aluguel.
Mas a sorte é bicho estranho, para dizer o cordel. Fizeram par na quadrilha, e por todos que os viam, do chão até a lua no céu, surgia escondida e calada a inveja cruel.
Trancoso rodopiava, feito vento na caatinga. Maria Jurema acompanhava ligeiro pra baixo e pra cima.
A quadrilha era dançada por muitos pares de fila, mas era Trancoso e Jurema que guiavam toda a trilha.
A festa, a música e a animação fez nascer no homem bravo o amor no coração.
Maria Jurema sentia o coração conquistado,  a lhe acordar o desejo pelo homem encantado.
Abraçou João Trancoso e sem medo lhe beijou, foi tempo de se contar, parecia até então que não ia acabar, o beijou acompridado selou o amor dos dois.
No fim da festa junina, o casal não mais foi visto.
João Trancoso “roubou” Jurema, e sumiram da região.
Com o tempo ficou a lenda do casal que se formou numa festa de São João e por destino marcado nunca mais retornou.
Alguns dizem que Jurema mudou o rumo de vida que Trancoso escolheu, que fez dele homem justo com o muito carinho que deu.
Por seu lado Trancoso virou pai dedicado, de uma prole tão grande pelo Ceará espalhado, a única que ainda ficou chamava Maria Rita, e esta nunca casou, cuidou dos pais na velhice e mais bela tornou, feito feitiço da terra que dela se apaixonou.
E ainda há de se encontrar a filha da linda Jurema, tão bela como uma flor e valente feito o pai, fato que também herdou. Como a mulher nordestina, confirmando assim a sina, forte e muito mimosa, cheia de prenda e estima uma mulher corajosa.

Crédito da gravura : brasilcentralgfbc.blogspot.com
                                                        
                                                                          
Bérgson Frota, escritor, contista e cronista, é formado em Direito (UNIFOR), Filosofia-Licenciatura (UECE) e Especialista em Metodologia do Ensino Médio e Fundamental (UVA), tem colaborado com os jornais O Povo e Diário do Nordeste, desenvolvendo um trabalho por ele descrito de resgate da memória cultural e produzindo artigos de relevância atual.        

2 Comentários:

Blogger Jean Kleber disse...

Valeu, escritor Bérgson!

24.6.14  
Anonymous Alice Aruda disse...

Parabéns pelo bem inspirado conto.

1.7.14  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial