Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

11.6.11

CRÔNICA DE UM GRANDE AMOR

Por
Bérgson Frota
.
Não sei se hoje tu te lembras mais.
Não há certeza que inspire-me uma resposta certa.
Mas amei-te e de forma inquieta, guardei para mim tua lembrança, num sentimento puro no fundo do peito.
O tempo passou e nos afastou, por quais motivos tendo a ignorar. Sem justificativas sem respostas, mas eu, cá confesso, nunca te deixei de amar.
E quando lembro do teu rosto, do teu terno olhar, de tuas doces palavras a me acarinhar, já não esqueço com uma dor sem volta, da alegria que me fazias sentir.
Hoje na crônica que a ti dedico, me vejo proibido a dizer teu nome. Mas o que o nome significa, se a verdade do sentimento te decodifica, e faz de ti que lê o que escrevo, a sabedora do texto que a ti dedico.
Quero preservar-te, pois sei que não mais podes de mim ouvir o que te escrevo mas espero, e fico na sensação que hás de entender-me.
A noite fria de lua cheia, e nós a aquecermo-nos mutuamente, deixou nas juras daquela madrugada distante, todas as promessas que não realizamos.
Mas a vida traça caminhos diferentes meu eterno grande e primeiro amor.
Amar é também saber renunciar, e foi o que fiz quando nos desencontramos. Perdí, e perdí te amando.
Nesta crônica em que te digo ainda que te amo, descrevo o amor de quem se sente amado, pois não morre um verdadeiro sentimento que para si sempre é desejado.
Amo, não sei se ainda lembras ou ama-me, mas saibas, fostes e ainda é, embora em segredo, embora sem poder dizer teu nome, o meu eterno e sempre grande amor.

___________________________
Crédito da imagem : flordotempo8.blogspot.com

Bérgson Frota, escritor, contista e cronista, é formado em Direito (UNIFOR), Filosofia-Licenciatura (UECE) e Especialista em Metodologia do Ensino Médio e Fundamental (UVA), tem colaborado com os jornais O Povo e Diário do Nordeste, desenvolvendo um trabalho por ele descrito de resgate da memória cultural e produzindo artigos de relevância atual.

6 Comentários:

Blogger Jean Kleber disse...

Bela crônica do professor Bérgson Frota para o Dia dos Namorados. Obrigado, professor. Desfrutem, amigos.

11.6.11  
Anonymous Anilenne disse...

Prabéns pela crônica bem rimada bela e rica, Professor.

14.6.11  
Anonymous Elisângela Soares disse...

Uma linda crônica,o amor é o mais belo sentimento, que nos leva a renunciar o nosso bem pela felicidade alheia. Crônica nota dez.


linda

15.6.11  
Anonymous Pedro Ailton disse...

Parabéns pela crônica amigo. Um texto muito bom.

20.6.11  
Anonymous Heliane Mattoso disse...

Uma crônica, um poema, uma dedicação de amor mesmo pela renúncia. Desculpe mas copiei com o seu nome como autor. Parabéns Poeta.

24.6.11  
Anonymous Gerlany disse...

Linda crônica, o amor verdadeiro se expressa na renúncia se esta for necessária para que o outro seja feliz. Parabéns ao autor.

27.6.11  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial