Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

5.8.10

A TUA CARTA PERDIDA

Por
Bérgson Frota


Estou ainda a procurar Dália por tua carta.
Chamo-a de a carta perdida.
Nela estava escrito, disso ainda lembro, teus incentivos a mim. No ato de escrever artigos e contos, e eu como uma troca de bom amigo, pois assim já éramos, fingia corrigir tuas poesias já perfeitas, teus textos já tão bem modelados.
Logo tuas poesias e artigos passaram a sair nos jornais, provas maduras de tua capacidade, e eu como um fiel estafeta, não demorava a te enviar.
Isto tudo antes do cordel acordar na tua alma.
Pois nascestes poetisa, mas o cordel como um broto tardio de flor de mandacaru, cresceu na tua alma depois e talvez, em decorrência do teu rico estilo que variava em poemas, poesias e sonetos.
A terra das carnaúbas, na qual hoje dorme meu pai, não foi por ti esquecida, nem menos amada, como também amava àquele que da minha família se foi.
Que coisa estranha as carnaubeiras. A riscar com tanta força e freqüência a inspiração dos poetas desta terra, não ?
E eu que nem poeta sou, também me deixo encantar por esta bela árvore. Para mim a mais bela do mundo.
Sei hoje que o cordel faz teu caminho feito uma rede de ouro a riscar tuas criações. Porém não deixes que te mantenhas longe da poesia pura e mínima, da inspiração divina que tens, da tua arte de poetizar em pequenas doses.
Porque tudo isso é você.
Tal inspiração para o cordel não surgiu, ela vive e cresce em ti já no teu nascer, e assim foi para depois na alma se espalhar e crescer, isto é o que agora te vem sempre a ocorrer.
Teus sonhos sempre brotaram e cresceram, dando doces frutos.
Mas, e tuas cartas ...
Devo confessar com certa tristeza, não poder reler a carta perdida, uma das que me mandastes e que tanto bem me fez ao lê-la e depois relê-la por vezes mais.
Se por acaso um dia, ao mexer num canto de teu armário, lá, onde guardas as cartas que te são caras, e entre elas encontrar uma cópia, talvez um rascunho do original que me enviastes, peço-te que me mandes, mesmo com as rasuras que com certeza terá, saberei perdoar.
Quero somente reler, e lembrar do que o que nela estava escrito. Do que continha a carta tão bem trabalhada, rica e cheia de grandes incentivos, minha carta preferida, embora muito procurada, e mesmo assim não encontrada, ela, a tua carta perdida.


Bérgson Frota, escritor, contista e cronista, é formado em Direito (UNIFOR), Filosofia-Licenciatura (UECE) e Especialista em Metodologia do Ensino Médio e Fundamental (UVA), tem colaborado com os jornais O Povo e Diário do Nordeste, desenvolvendo um trabalho por ele descrito de resgate da memória cultural e produzindo artigos de relevância atual.

1 Comentários:

Blogger Jean Kleber disse...

Bem vinda mais uma competente crônica de nosso coleborador, o professor Bérgson Frota. Desfrutem.

5.8.10  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial