Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

23.12.12

O Sino da Capela


                                            
Por
Bérgson Frota 

Era uma vila pobre, de poucas casas, cuja riqueza era a cordialidade e o amparo mútuo entre seus moradores.
À noite só o tremular das lamparinas, a lua e o piscar das estrelas.
A vila era distante da sede do município, e justo pela distância, quase esquecida.
Os moradores haviam se reunido naquele ano para juntos construírem uma capela.
Era uma modesta construção, para cumprir a promessa de festejar pela primeira vez o natal num templo santo na comunidade.
Juntaram uma boa quantia e encarregaram entre eles alguém de confiança para na capital comprar um sino médio de bronze.
Seria colocado no alto da torre, que foi bem reforçada.
Porém o natal aproximava-se e nada do encarregado regressar com o sino. Não demorou chegar a notícia de que o homem, com o dinheiro em mãos, havia partido para a Amazônia, fugindo num pau-de-arara, pois era tempo de seca.
O povo ao saber se entristeceu.
A quantia era alta, e para levantá-la todos haviam se sacrificado.
Chegou o natal.
De branco a população levava uma vela acesa, protegida do vento. A capela seria iluminada por velas.
E assim nas orações e cânticos saldando o nascimento do Salvador, o céu parecia iluminar-se mais de grandes estrelas coruscantes.
Outros ao verem tal fenômeno saíram para juntar-se aos que já na capela estavam.
Meia-noite um sino começou a badalar forte, era um milagre, um grande sino a parecer de prata que a todos emocionava no alto da torre.
Um vento suave corria pela cidade levando uma paz e perfume desconhecidos.
O sino continuava a badalar, o céu se iluminava, e na capela os cânticos continuavam.
E naquele natal, no coração daquele povo sofrido, as esperanças foram renovadas, pela sempre promessa da sagrada data natalina.
                                                            
                                                                           
                       Foto: midiatecaunivali.wordpress.com

Bérgson Frota, escritor, contista e cronista, é formado em Direito (UNIFOR), Filosofia-Licenciatura (UECE) e Especialista em Metodologia do Ensino Médio e Fundamental (UVA), tem colaborado com os jornais O Povo e Diário do Nordeste, desenvolvendo um trabalho por ele descrito de resgate da memória cultural e produzindo artigos de relevância atual.

2 Comentários:

Blogger Jean Kleber disse...

Bem vindos, o professor Bérgson e sua bela crônica de Natal

23.12.12  
Blogger Dalinha Catunda disse...

Bérgson,
Parabéns pela crônica natalina falando de esperanças renovadas que é o que mai precisamos.
Meu abraço,
Dalinha

24.12.12  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial