Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

9.1.09

RESGATE LITERÁRIO DE IPUEIRAS - DALINHA CATUNDA - I

SAUDADES DE IPUEIRAS
*
Por
Dalinha Catunda
*
Ipueiras dos meus tempos,
Como posso não lembrar.
Do Cristo de braços abertos,
Dos banhos no Jatobá.
*
Dos passeios na avenida,
Dos namoros ao luar.
Da bandinha anunciando,
Os festejos do lugar.
*
Das mensagens que eu ouvia,
Na rádio Vale do Jatobá.
Quase sempre oferecida,
Por quem dizia me amar.
*
Das quermesses, das novenas,
Como posso me esquecer.
Do toque da alvorada,
Embalando o amanhecer.
*
A procissão que passava,
Levando a santa no andor.
E o povo compenetrado,
Cantando em seu louvor.
*
Ecoa em meus ouvidos,
Saudoso aquele grito.
Do menino que passava,
Com a tábua de pirulitos.
*
Olha o pirulito! Gritava,
Com sua tábua na mão,
E assim adoçava a infância,
Daqueles tempos de então.
*
Cadê o seu Zeca Bento,
Com sua calçada cheia?
Cuspindo numa latinha,
Toda forrada de areia.
*
Era a roda mais famosa,
Que existia em nossa aldeia.
Debatia-se qualquer assunto,
De política a vida alheia.
*
E o seu Idálio? Era tido
Como o doutor do lugar.
Remédio para o corpo e a alma,
Só ele sabia passar.
*
Figura saudosa e marcante,
Era o velho Camaral.
Mestre em puxar cordões,
Nos bailes de carnaval.
*
O carnaval de Ipueiras,
Tinha a sua tradição.
De dia brincavam na rua,
De noite era no salão.
*
O testamento do Judas,
As fogueiras de São João,
São saudades permanentes,
Juntamente com o chitão.
*
Quem não chorou ou sorriu,
Na praça da estação,
Esperando o trem que passava,
Levando e trazendo paixão.
*
Os banhos de açude!
Meu Deus! Que animação.
Às vezes no Pai Mané,
Outras no Lamarão.
*
Ah! Tempos maravilhosos.
Oh! Doces recordações.
Tempos de seresteiros,
De donzelas, de canções.

_ ________________________________________
As fotos da cidade são do site oficial. A da banda é do acervo do ipueirense Tadeu Fontenele.
_________________________________________
Maria de Lourdes Aragão Catunda – Poetisa, Escritora e Cordelista. Nascida e criada em Ipueiras-CE, conhecida popularmente como Dalinha Catunda, vive atualmente no Rio de Janeiro. Publica nos jornais "Diário do Nordeste" e "O Povo", nas revistas "Cidade Universidade" e "Municípios" e nos blogs: Primeira Coluna, Ipueiras e Ethos-Paidéia. É membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel. É co-gestora convidada do blog Suaveolens, além de ter blog próprio: (cantinhodadalinha.blogspot).
_____________________________________
NOTA DO BLOG: ficamos, eu e Bérgson Frota, que foi padrinho de Dalinha nesta apresentação, em dúvida sobre "Minha Canção do Exílio" e "Saudades de Ipueiras", duas preciosidades de sua obra. A própria autora manifestou-se a favor de "Saudades de Ipueiras". Ei-la.

7 Comentários:

Blogger Jean Kleber Mattos disse...

Mais uma vez ela arrasou. Obrigado Bérgson pelas idéias. Obrigado Dalinha por ser esta poetisa intensa a galvanizar-nos. Valeu demais!

9.1.09  
Anonymous Bérgson Frota disse...

Parabenizo o blog pela excelente postagem, na verdade ninguém melhor qualificável do que a própria autora para escolher seu trabalho mais significativo. No entanto Dalinha Catunda é plural,no rico trabalho que gera, fico feliz por aplaudir este poema e Minha Canção do Exílio. Que este ano lhe inspire mais ainda e traga para nós ipueirenses mais orgulho. Parabéns.

9.1.09  
Anonymous Lurdinha disse...

Lindo Dalinha, amei esta homenagem que seus amigos lhe fizeram e eu como admiradora aprecio.

11.1.09  
Blogger Dalinha Catunda disse...

Jean Kleber,
É muito bom receber suas palavras que lidas transformam-se em incentivo.
Mais uma vez quero agradecer ao meu amigo Bérgson, que sempre me incentivou e apadrinhou-me desde sempre.
Lurdinha, também adorei meu ego ta lá "emriba"
Meu abraço e meus agradecimentos a todos.

11.1.09  
Anonymous edivan mesquita disse...

Dalinha,

Apesar de não aconhecer, te admiro muito, pois suas poesias fazem agente viajar no tempo, nascido em Ipueiras e tendo vivido a infância e adolescencia nesta "pacata e hospitaleira cidade" como falava o locutor da radio existente na cidade na época, os seus versos só falam a verdade do que vivemos nessa época, parabéns....

27.1.09  
Blogger maria disse...

dalinha meu nome e cibele,moro nos Estados unidos ja a 20 anos, nasci em ipueiras,entre as coisas bonitas que guardo da infancia esta ipueira, joje procurando o site do banco do brasil encontrei seu blog,Amei!,adorei, e voce e linda,escreve bonito, e mi levou de volta, ao videl, alto do cristo,avenida a noite escutandoas musicas do amplificador, te amo ,um beijo, CIBELE-B-I-A

14.3.11  
Blogger Dalinha Catunda disse...

Olá Edivan,
Obrigada pelas palavras carinhosas, e eu, que também vivo distante de Ipueiras tenho esta mesma saudade.

Olá Cibele,
Que prazer ter tão doce pessoa comentando falando sobre Ipueiras e falando de meu espaço sagrado que é Ipueiras e falando das mesmas que vivi.
Um beijo grande Cibele,
Apareça mais
Dalinha

14.3.11  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial