Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

5.1.09

O DUPLO OLHAR DE JANO

Por
Marcondes Rosa de Sousa
*
O Povo - 05 Jan 2009 - 01h08min (Fortaleza-Ceará)
*
Janeiro é mês que, em sua origem, remete-nos a Jano, deus romano de duplo olhar. Olhar à frente, aberto ao futuro; olhar atrás, fechando-se aos já passados ciclos. Evocar Jano agora parece-nos oportuno, tanto no País quanto no Globo, neste momento de crise.
*
Um rápido flashback. Quedas várias, desde o muro de Berlim: a da União Soviética e as atuais do mercado e dos surtos de reação às agressões ecológicas em todo o Planeta. Hora, sem dúvida, de repensarmos os infringidos valores desde a Revolução Francesa: os da “liberdade, igualdade e fraternidade”, retomados, sob feições diversas pelas correntes liberais, socialistas e social-democráticas. E, sob tais parâmetros, formular a visão nossa como integrados “cidadãos, profissionais e pessoas”, portos a nos desenhar o destino de nossa vida educacional, social e política.
*
Hoje, vida política, educacional e social é coisa, por muitos, vista sem praia e sentido. Mais forte até, “coisa suja”, embora repisemos, com Aristóteles, que o homem é um animal político. Aos poucos, porém, vamos percebendo que o ente político de Aristóteles transpõe a pequenez do eventual jogo do capital, do prosaico aqui-e-agora histórico, a nos fazer a todos cidadãos a habitar o planeta como personagem. Vivemos, pois, em um mundo “para além do capital”, onde razão e fé se abraçam, olhos nossos – à frente e atrás – tal qual Jano, a nos fazer a vida como seres imagem e semelhança do Criador.
*
Jano recebia dos romanos, na antiguidade, duas funções: a daquele que se abre e ao mesmo tempo do que se fecha. O momento é de fecharmos o ciclo passado em nossa história, país e planeta, abrindo-nos novos ciclo e visão: o da superação de ver a vida social, o País e o Planeta subordinados ao capital.
*
É a reflexão que nos impõe, neste janeiro, o duplo olhar de Jano!
________________________________________
Figura de Janus: site prof2000.pt/users/secjeste/Agricola/Janus.gif
*
Marcondes Rosa de Sousa, advogado, é professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade Estadual do Ceará (UECe). É uma das maiores autoridades em educação do Brasil. Ex-presidente do Conselho de Educação do Ceará e do Fórum Nacional dos Conselhos Estaduais de Educação, é Colunista do jornal " O Povo ", onde mantém seus artigos quinzenais.

3 Comentários:

Blogger Jean Kleber Mattos disse...

Coisa fina, para começar bem o ano: "O Duplo Olhar de Jano", de Marcondes Rosa de Sousa. Desfrutem.

5.1.09  
Blogger Dalinha Catunda disse...

Marcondes, não quero ser pessimista,mas vejo que o homem cada dia é mais animal e menos politico. Hoje vivemos um "salve-se quem puder". Eu, particularmente, com a porção jano que me cabe estou com os dois olhos da frente bem abertos e o detrás bem fechado e encostado na parede.
Um abraço,
Dalinha

5.1.09  
Anonymous Bérgson Frota disse...

Um trabalho de dar inveja. Uma reflexão pura da nossa realidade. Professor Marcondes nos brinda com um texto de sensatez.

5.1.09  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial