Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

11.3.15

O TETÉU ME AVISOU

"O TETÉU ME AVISOU
*
Quando o tetéu fez zoada
Eu olhei para a porteira,
E vi meu amor chegando
Meti os pés na carreira
Foi tanto beijo e abraço
Que me deu até tonteira.
*
Entre nós dois se jogou
Nosso cão de estimação
Um querido vira-lata,
E que atende por Barão
Latindo e abanando o rabo
Mostrando satisfação.
*
Hoje a galinha caipira,
Vai cheirar lá na panela
Vou fazer como ele gosta,
Com pirão e à cabidela
E vou separar pra ele
O coração e a moela.
*
Uma cachacinha tem,
Vou ao pé buscar cajá.
Um suco bem refrescante,
Ligeiro vou preparar,
Vou caprichar no almoço,
Sem me esquecer do jantar.
*
No terreiro à noitinha
Vai ter dança e cantoria
Para celebrar a volta,
De quem é minha alegria 
Pra ele vou declamar
A mais bela poesia
*
Mas a festa só acaba,
Ao matar a minha sede.
Suando junto com ele
No balançado da rede.
O armador que aguente!
Pra não cair da parede.
*
Versos e foto de Dalinha Catunda"


O TETÉU ME AVISOU

*

Quando o tetéu fez zoada
Eu olhei para a porteira,
E vi meu amor chegando
Meti os pés na carreira
Foi tanto beijo e abraço
Que me deu até tonteira.
*
Entre nós dois se jogou
Nosso cão de estimação
Um querido vira-lata,
E que atende por Barão
Latindo e abanando o rabo
Mostrando satisfação.
*
Hoje a galinha caipira,
Vai cheirar lá na panela
Vou fazer como ele gosta,
Com pirão e à cabidela
E vou separar pra ele
O coração e a moela.
*
Uma cachacinha tem,
Vou ao pé buscar cajá.
Um suco bem refrescante,
Ligeiro vou preparar,
Vou caprichar no almoço,
Sem me esquecer do jantar.
*
No terreiro à noitinha
Vai ter dança e cantoria
Para celebrar a volta,
De quem é minha alegria 
Pra ele vou declamar
A mais bela poesia
*
Mas a festa só acaba,
Ao matar a minha sede.
Suando junto com ele
No balançado da rede.
O armador que aguente!
Pra não cair da parede.


*
Versos e foto de Dalinha Catunda



Maria de Lourdes Aragão Catunda – Poetisa, Escritora e Cordelista. Nascida e criada em Ipueiras-CE, conhecida popularmente como Dalinha Catunda, vive atualmente no Rio de Janeiro. Publica nos jornais "Diário do Nordeste" e "O Povo", nas revistas "Cidade Universidade" e "Municípios" e nos blogs: Primeira Coluna, Ipueiras e Ethos-Paidéia. É membro da Academia Brasileira de Literatura de Cordel.Escreve no Jornal Gazeta de Notícias do Cariri, No Blog Jornal da Besta Fubana e No Blog do Lando. Faz parte da ACC (Academia dos Cordelistas do Crato) e da AILCA, (Academia Ipuense de Letras Ciência e Artes). É co-gestora convidada do blog Suaveolens, além de ter blog próprio: (cantinhodadalinha.blogspot).

1 Comentários:

Blogger Jean Kleber disse...

Beleza !

11.3.15  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial