Suaveolens

Este blog foi criado por um cearense apaixonado por plantas medicinais e por sua terra natal. O título Suaveolens é uma homenagem a Hyptis suaveolens uma planta medicinal e cheirosa chamada Bamburral no Ceará, e Hortelã do Mato em Brasília. Consultora Técnica: VANESSA DA SILVA MATTOS

Minha foto
Nome:
Local: Brasília, Distrito Federal, Brazil

Cearense, nascido em Fortaleza, no Ceará. Criado em Ipueiras, no mesmo estado até os oito anos. Foi universitário de agronomia em Fortaleza e em Recife. Formou-se em Pernambuco, na Universidade Rural. Obteve o título de Mestre em Microbiologia dos Solos pelo Instituto de Micologia da Universidade Federal de Pernambuco. Também obteve o Mestrado e o Doutorado em Fitopatologia pela Universidade de Brasília. Atualmente é pesquisador colaborador da Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária da Universidade de Brasília.

12.10.11

O Cavalinho de Balanço

NOTA DO BLOG: COMEMORANDO O DIA DA CRIANÇA NESTE 12 DE OUTUBRO OFERECEMOS O CONTO DE NOSSO COLABORADOR PROFESSOR BÉRGSON FROTA.
.

Por Bérgson Frota

Quando o menino ganhou o cavalinho de balanço foi a maior festa. Não deixava de balançar-se.

Era um cavalo branco de crina e rabos negros, sela avermelhada e olhos bem vivos. Estava montado em cima de dois balançadores ligados ao meio.

O garoto não cansava-se de montar e balançar-se no cavalo que o avô dera de presente.

Então cansou-se, depois de dias muito brincar, o cavalinho de balanço foi deixado isolado num canto do quarto, o brinquedo não mais lhe chamava a atenção.

Não demorou os pais notarem, e como é natural, perceberam que o garoto tinha cansado do brinquedo.

Como era grande para o quarto pequeno, acabaram tirando-o e levando-o para uma dispensa cheia de móveis, objetos quebrados e cheios de poeira.

Passou um ano, dois e três.

O cavalinho de balanço ficou encardido e de cores descascadas. No quarto sujo e escuro o cavalinho antes alegre agora chorava pelo abandono. Rezava para a fada dos brinquedos, pedia ajuda.

Um dia a porta abriu-se, uma luminosidade o ofuscava, entrou um velho senhor começando logo a procurar algo, enfim encontrou, era ele. E assim o levou.

O homem tirou sua sujeira, pintou suas cores originais e depois de secar deu-lhe um banho de óleo, esfregando-o bem o deixando brilhoso como novo.

Dois dias passaram, então ele o pôs num carro e o levou para um orfanato.

As crianças correram ao vê-lo e com ele passaram a brincar, cada uma esperando a sua vez. Para aquele cavalinho o sol voltou a brilhar, foi a resposta de suas preces, agora nunca era desprezado, sempre havia uma criança na fila, para com o balançar ele logo fazer sorrir.

(Muitas coisas ganham novo valor quando divididas)

____________________________

(Desenho do jornal Diário do Nordeste para o conto acima publicado em 18 de setembro.)

Bérgson Frota, escritor, contista e cronista, é formado em Direito (UNIFOR), Filosofia-Licenciatura (UECE) e Especialista em Metodologia do Ensino Médio e Fundamental (UVA), tem colaborado com os jornais O Povo e Diário do Nordeste, desenvolvendo um trabalho por ele descrito de resgate da memória cultural e produzindo artigos de relevância atual.

3 Comentários:

Blogger Jean Kleber disse...

Comemorando o Dia da Criança em grande estilo, oferecemos aos nossos leitores esta bela página do escritor, cronista e contista, professor Bérgson Frota. Somos mui gratos a Bérgson Frota pela colaboração.

12.10.11  
Blogger Marlene Ruth Gomes disse...

Muito legal

19.1.16  
Blogger Marlene Ruth Gomes disse...

Muito legal

19.1.16  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

Links para esta postagem:

Criar um link

<< Página inicial